[RECEITA P/ LUCRAR] Brownie super proteico de feijão preto e alfarroba. E a estratégia de venda: veneno na lata

Hoje começa uma nova era aqui no Receitas e Saúde. Só teremos doces com benefícios e sem açúcar refinado. E de bônus: dicas espertas, para nossas empreendedoras começarem seu novo negócio.

Eu já passei essa receita para minha lista de pessoas especiais e caso você esteja fora, no final do artigo você pode se cadastrar nela.

Nesse vídeo, você vai aprender a fazer a meu brownie de feijão preto e alfarroba. O feijão tem 4,4g de proteína em 100g. 1g a mais do que o leite de vaca.

Já a alfarroba tem vitamina B1 e a vitamina B2, responsáveis pelo bom funcionamento do sistema nervoso, dos músculos, do coração, das atividades mentais e do raciocínio. Além disso, é rica em vitamina A, cálcio, magnésio, ferro, potássio e sódio.  Contém mais fibras e é menos calórico do que o chocolate.

Veja a receita clicando no video.

Enquanto eu estava finalizando o vídeo da receita do brownie de feijão preto fiquei pensando. Será que vender brownie é uma boa ideia de negócio? Será que é lucrativo uma empresa com um único produto? As pessoas não iriam se cansar de comer a mesma coisa?

Mas foi aí que eu me lembrei de algo interessante do meu passado.. Eu estudava num colégio grande e a hora do recreio tinha uma fila gigantesca de empurra empurra para conseguir comprar um lanche.

Muitas vezes o horário do recreio terminava antes de eu conseguir pegar o lanche ou o que eu queria acabava antes da minha vez.

As opções eram péssimas, e as comíveis acabavam rápido. Um dia não consegui comprar e um amigo me ofereceu o lanche dele. Nossaaaaaaaaaa foi o melhor brownie da minha vida.

Eu e todos da nossa turma imploramos a ele para fazer e nos vender. Depois dessa comoção, ele resolveu levar.. Eu comia todo dia! Em menos de uma semana o colégio inteiro estava comprando com ele.

Depois de alguns meses, como a fila da cantina diminuiu muito, a direção descobriu o que estava acontecendo. Nós até tentamos várias estratégias para continuar comprando. A gente pegava no carro antes de entrar no colégio. Mas não teve jeito.

Ele já estava a ponto de ser “convidado” para sair da escola. O que causou uma revolta entre nós.

Boicotamos a cantina da escola, mas não teve jeito. A mãe dele resolveu parar de vender! Que pena! Pois a história dele hoje poderia ser igual a do Luiz do Brownie.

Brownie: um cado de sucesso

No caso do Luiz ele resolveu continuar as vendas quando entrou na faculdade e hoje ele vende mais de uma tonelada de brownie por mês. Histórias bem parecidas, mas com finais completamente diferentes.

Depois de conhecer a história do Luiz do Brownie, minhas dúvidas foram respondidas: brownie é uma boa ideia de negócio? Sim! É lucrativo uma empresa com um único produto? Sim! As pessoas não iriam se cansar de comer a mesma coisa? Não! Nem eu, nem todo resto do colégio se cansaram de comer o mesmo lanche todos os dias. E nem os clientes do Luiz!

Mas porque o brownie do Luiz faz tanto sucesso?

Eu vou te passar algumas estratégias bem interessantes que identifiquei:

1° Monocomerce

Ele começou vendendo no colégio, depois passou para a faculdade e não parou por aí, vendia no Teatro municipal, em bares e em loja de produtos naturais;

“quem muito quer nada tem”

Essa é uma sacada muito boa. Muitas pessoas acham que precisam de vários produtos para alcançar mais público. E na verdade é justamente o contrário. Você precisa diversificar os pontos de venda, não o produto.

Se não, você investe seu tempo e dinheiro em vários tipos de produto e acaba não agradando ninguém, além de tornar a produção uma bagunça e dificultar a expansão da empresa.

Sai muito mais barato e rápido produzir 100 brownies com os mesmos ingredientes do que vários tipos de doces. Foque num produto e vários locais de venda!

#2 Diversificar o produto

Trabalhar com um produto não significa que ele tenha que ser apresentado no mesmo formato em todos os postos de venda.

O Luiz teve uma ideia brilhante. Ele usava as sobras do corte do bolo que iriam ser jogadas fora, os cortava em quadradinhos e vendia numa lata reciclada.
3° Fidelização do cliente.

Se você pensou que essa lata iria aumentar o custo de produção, se enganou feio. Ele resolveu o problema, criando uma promoção. Quem devolvesse a lata ganhava 10% de desconto.

Além de diminuir o lixo produzido pela embalagem ele estimulava o cliente a comprar novamente. Essa estratégia funcionou tão bem que ele teve que criar uma forma especial de bolo para produzir só as beiradas. Genial, não?

#4 Estratégia veneno da lata!

Um grande diferencial que conecta e estimula os clientes a comparem é o bom humor. A lata que ele usa para vender as sobras se chama veneno na lata.

Por ser viciante, um amigo fez referência ao episódio onde, apareceram no mar do Rio de Janeiro latas cheias de maconha de um barco panamenho que foi apreendido. O nome pegou!

Nomes e embalagens divertidas marcam na lembrança do seu cliente e te destacam no mercado. Outro exemplo que mostrar o poder dessa estratégia é a pastelaria de coreanos: Pastel de Flango.  Que faz o maior sucesso só pelo nome.

#5 Amigos = revendedores

Os amigos eram tão apaixonados pelos brownies que ele sugeriu que eles vendessem também. Isso fez com que o alcance dos produtos aumentasse rapidamente.

#6 Sem fronteiras

Além das lojas físicas, da faculdade e dos amigos ele resolveu vender pela internet também. Envia por Sedex.

Eu recomendo que você ofereça pela internet depois de se consolidar no físico, por que a estrutura de internet é diferente. Mas para frente eu vou falar sobre isso, afinal, já são mais de 10 anos empreendendo tanto com produtos físicos como na internet.

#7 Diversificando o produto sem mudar o produto

Assim que você já tiver sua base de clientes, revendedores e postos de vendas firmados, o segundo passo, depois de oferecer pela internet, aí sim é diversificar o produto.

No caso do Luiz,ele resolver vender os brownies recheados. e está dando muito certo.

Se você quer conhecer o trabalho do Luiz do Brownie veja aqui.

O que é mais legal na história dele é ver como foi evoluindo aos poucos, sentindo as preferências do mercado, manteve o crescimento constante. Se mantendo focado em um só produto!

Ele vendia no tempo de faculdade cerca de 100 unidades por dia. R$3,00 o pequeno e a Lata R$15,00. Hoje, vende 1 tonelada de Brownie/ mês.

Convencida?

Bem, eu tenho uma grande notícia. A partir de hoje está inaugurada a categoria negócios saudáveis.

Eu acredito que a única forma da gente melhorar a vida das pessoas com alimentação especial é ajudando o mercado a crescer, mostrando todas as possibilidades para você investir!

Devo continuar com esse trabalho?

Então aqui está o que você tem a fazer …

Deixe um comentário aqui dizendo: “Estou dentro!” Quero começar meu primeiro negócio de sucesso!

E, em seguida,  me conte qual a sua maior dificuldade?

E se souber de qualquer outra pessoa que possa se beneficiar deste conteúdo, há 3 botões, das redes sociais que estamos,  aqui em cima na página, que você pode usar para compartilhar este artigo com eles.

Com amor,
Samantha

4 Comentários

  1. Kleidianne Nogueira

    Oi. Encontrei o seu site por acaso, ao pesquisar “bolo no pote sem trigo sem soja sem ovos” no youtube. Comprei o e-book e estou aguardando.

    Tenho intolerância à lactose e dois filhos com alergias múltiplas. Sou formada em jornalismo, mas deixei a carreira de lado para cuidar deles. Fazia bolo no pote sem ovos e sem lactose e vendia pelo menos 10 por semana. Até que a minha filha desenvolveu alergia ao trigo e eu fiquei sem fonte alguma de renda.

    Minhas maiores dificuldades são: precificar e organizar o tempo de produção – já que meu trabalho é cuidar de dois bebês alérgicos e só de vez em quando tenho tempo.

    Já faço leite e óleo de coco em casa e tenho muito excedente de coco triturado que sobra do processo. Alguma dica para aproveitá-lo ou comercializá-lo?

    Obrigada pela disponibilidade. Infelizmente não vou testar a receita do brownie porque minha filha é alérgica a feijão também. Abraços.

    Responder
    1. Samantha Chagas

      Olá Kleidianne!

      Seja muito bem vinda a nossa comunidade e obrigada pela confiança e por dividir sua história conosco.

      Esse eBook em particular, não é restritivo a ovo! As restrições que ele abrange são:glúten, leite, soja, corantes artificiais e açúcar refinado.

      Legal saber que você já está no mercado e espero poder te ajudar nessa jornada também. Anotei aqui quais o principais pontos que você deseja otimizar. Isso vai me ajudar muito a criar conteúdos mais práticos e efetivos para todos.

      No próprio eBook de bolo no pote, tem uma receita de recheio de coco que você vai poder usar o resíduo para fazer beijinho. Fica uma delicia, esse é sem ovo.

      Fico realmente feliz em te receber aqui e vamos juntas criar um mundo mais saudável e gostoso!

      Com amor,
      Samantha

    2. Kleidianne Nogueira

      Oi Samantha, obrigada pelo retorno. Nesse meio tempo parei também de produzir o óleo e o leite de coco porque meu caçula desenvolveu uma alergia muito forte ao coco. Mas já estou acostumada a ter que me readaptar sempre e readaptar a alimentação da família toda por conta das alergias que não param de surgir. Infelizmente. Vamos juntas!

    3. Samantha Chagas

      Caramba. Que chato isso… Mas você está certa! Nós alérgicos temos sempre que ter resiliência. Isso com certeza nos torna mais fortes e criativas!

Essa história fez sentido para você?